Cirurgia oral

Cirurgia oral é a especialidade da odontologia que realiza tratamentos cirúrgicos. Essa área é ampla e abrange todos os procedimentos cirúrgicos possíveis de serem realizados com anestesia local em consultório odontológico.

As cirurgias mais comuns são os Implantes dentários, enxertos ósseos e gengivais, extrações dentárias, extrações dos sisos e cirurgia de tecidos moles.

O QUE É ENXERTO ÓSSEO? COMO FUNCIONA?

Os enxertos ósseos são necessários quando o paciente não possui estrutura óssea adequada para receber implantes dentários. Isso é necessário sempre que um dente é perdido e o osso que se encontrava ao redor do dente é reabsorvido.

Esse processo de reabsorção óssea ou atrofia deixa o osso progressivamente mais fino, podendo tornar a instalação do implante inadequada ou até mesmo impossível. Os tipos de enxerto mais empregados atualmente são: osso sintético, osso bovino e osso autógeno (osso do próprio paciente).

O QUE É ENXERTO GENGIVAL? COMO FUNCIONA?

O enxerto de gengiva tem como objetivo devolver os tecidos que dão suporte ao dente. Esta técnica restaura a estrutura gengival, desde áreas desdentadas há muito tempo, como até retrações gengivais localizadas que podem estar causando sensibilidade com líquidos e alimentos, gerando desconforto ao paciente.

COMO SURGE A DOENÇA GENGIVAL?

Vários fatores são determinantes para o aparecimento da doença gengival Periodontal, por esta ser uma doença multifatorial. Os principais fatores são:

  • Acúmulo de placa bacteriana
  • Puberdade
  • Ciclo menstrual
  • gavidez
  • Doenças sistêmicas (diabetes, hipertensão, obesidade visceral, entre outras)
  • Fumo
  • Excesso de álcool
  • Deficiência nutricional
  • Drogas
  • Leucemia
  • Herpes Vírus
  • Reações Alérgicas
  • Estresse emocional

QUAIS OS ESTÁGIOS DA DOENÇA GENGIVAL?

  • Gengivite:é uma Inflamação localizada na gengiva apresentando sangramento e vermelhidão, e às vezes hiperplasia gengival. Neste estágio ainda não há perda óssea e retração gengival. Seu tratamento baseia-se na readequação e orientação de higiene bucal, pois pode ser revertida desde que o osso e o ligamento periodontal os quais seguram o dente no lugar não tenham sido afetados, se os mesmos forem afetados então houve a progressão da doença para periodontite.
  • Periodontite:é quando a doença inflamatória afeta o tecido ósseo de apoio dentário e o ligamento que circunda o dente, e estes estão irreversivelmente danificadas apresentando sangramento, perda óssea, retração gengival, mobilidade dentária, bolsa abaixo da margem gengival (favorecendo o acumulo de placa bacteriana) e até perda dos dentes. Seu tratamento baseia-se no controle dos fatores desencadeantes dessa doença, como raspagem e alinhamento, extração ou reabilitação de dentes condenados e equilíbrio da oclusão, assim como acompanhamento da dieta e higiene.
  • Periodontite avançada – Nesse estágio mais avançado da doença periodontal, as fibras e o osso dos seus dentes estão sendo destruídos, e isso pode fazer com que o seu dente se movimente ou apresente mobilidade. Isso pode afetar a sua mordida e a forma como você se alimenta ou se comunica. Se o tratamento periodontal não puder salvá-los, os dentes devem ser extraídos.

Prevenção: acreditamos que a prevenção e a conscientização do paciente é o melhor método para evitar essas doenças ou para não ocorrer recidivas após o tratamento. O controle mecânico diário da placa bacteriana — ensinado pelo Cirurgião-Dentista, por meio de uma técnica correta de higiene bucal, fio dental e escovas especiais para higiene avançada — é determinante para manter a gengiva e os dentes em condição de saúde e inclusive reverter os episódios de gengivite.

 

SINAIS E SINTOMAS da Doença gengival/periodontal

A doença periodontal nem sempre apresenta dor, por isso é importante estar ciente de qualquer um dos sintomas abaixo:

  • Gengiva que sangra facilmente durante a escovação ou o uso de fio dental;
  • Gengiva inchada, vermelha ou dolorida;
  • Gengiva retraída;
  • Mau hálito persistente ou gosto ruim na boca;
  • Dente amolecido;
  • Próteses parciais que se desajustaram;
  • Pus visível em torno dos dentes e gengiva;
  • Dores agudas ao mastigar os alimentos;
  • Dentes excessivamente sensíveis à temperaturas frias ou quentes.

TRATAMENTO da gengivite/periodontite

Uma raspagem supragengival feita pelo seu dentista é a única forma de remover a placa que se calcificou e se transformou em tártaro (cálculo dental).

Caso a doença periodontal esteja em um estágio mais avançado, raspagem e alisamento radicular podem ser realizados para tratar as bolsas periodontais infectadas e diminuir assim a inflamação da gengiva. O dentista utiliza um dispositivo chamado ultrassom para remover a placa bacteriana, o tártaro (cálculo dental) e restos de alimentos acima e abaixo da margem gengival, ou optar pela raspagem manual, com instrumentos chamados de curetas, para tornar as superfícies dos dentes lisas. Se as bolsas periodontais apresentarem mais de 5 milímetros de profundidade, ou seja, se você tem periodontite moderada a severa, uma cirurgia periodontal poderá ser realizada por um periodontista a fim de reduzir as bolsas, bem como enxerto ósseo para restaurar o osso perdido.

DOENÇA PERIODONTAL VS DOENÇAS SISTÊMICAS

Várias pesquisas vêm indicando que a doença periodontal é um fator agravante e que poderão desencadear ou dificultar o controle de algumas doenças sistêmicas, como:

  • Diabetes
  • Hipertensão
  • Infecção por HIV
  • Distúrbios hematológicos (neutropenia adquirida, leucemia)
  • Distúrbios genéticos

Prevenção: acreditamos que a prevenção e a conscientização do paciente é o melhor método para evitar essas doenças ou para não ocorrer recidivas após o tratamento. O controle mecânico diário da placa bacteriana — ensinado pelo Cirurgião-Dentista, por meio de uma técnica correta de higiene bucal, fio dental e escovas especiais para higiene avançada — é determinante para manter a gengiva e os dentes em condição de saúde e inclusive reverter os episódios de gengivite. E claro, devemos sempre estar atento à visita ao seu dentista o qual é planejada individualmente para cada paciente.

Quer saber mais? Entre em contato com Dr. Leonardo

×