Endodontia

Especialidade da odontologia que estuda a causa, prevenção, diagnóstico e tratamento das alterações patológicas da polpa (nervo do dente), de acordo com seus sinais e sintomas clínicos observados por meio de exames complementares ao tratamento endodôntico.

Devemos realizar o tratamento adequado a cada situação clínica encontrada, visando à manutenção do dente e de suas funções na cavidade bucal, para que o dente continue proporcionando função, estética, conforto e saúde bucal ao paciente.

O tratamento de canal ou endodôntico consiste na remoção da polpa (nervo) que se encontra na parte interna do dente (canal) e pode estar sadio, infectado, ou necrosado (morto)

Dependendo do caso, o tratamento de canal pode ser realizado em apenas uma consulta.

Fases do tratamento endodôntico:
Primeiramente fazemos uma abertura na coroa do dente. Após, a polpa é removida (pulpectomia). O canal é esvaziado, alargado para então obturá-lo (preenchê-lo). Como ultima etapa é feito o preenchimento com um material inerte ou anti-séptico, selando hermeticamente o mesmo, não interferindo e, de preferência, estimulando o processo de reparo do dente, que deve ocorrer após o tratamento de canal.

Devemos lembrar que um tratamento de canal adequado seria aquele que iniciasse com um correto diagnóstico e fosse concluído com uma obturação o mais hermética possível, seguida pela proservação que nada mais é do que o acompanhamento profissional com a frequência dependendo de caso para caso.

O que fazer após o tratamento de canal?
Apos a realização bem sucedida do tratamento de canal devemos passar para a fase reabilitadora onde devemos fazer o planejamento individual onde consiste em restaurações ou coroas protéticas.

E se não realizar o tratamento?
A falta do tratamento de canal pode resultar em infecção, envolvendo raiz dental, osso tecidos vizinhos, trazendo sérias consequências à saúde, dentre as quais:
– Extração do dente
– Abcessos (lesões com pus) no osso, podendo causar inchaço
– Infecções à distancia (articulações, febre reumática)

Quer saber mais? Entre em contato com Dr. Leonardo

×