Ortodontia

Ortodontia é uma especialidade odontológica que corrige a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada. Dentes tortos ou dentes que não se encaixam corretamente são difíceis de serem mantidos limpos, podendo ser perdidos precocemente, devido à deterioração e à doença periodontal.

Também causam um estresse adicional aos músculos de mastigação que pode levar a dores de cabeça, síndrome da ATM e dores na região do pescoço, dos ombros e das costas. Os dentes tortos ou mal posicionados também prejudicam a sua aparência.

O tratamento ortodôntico torna a boca mais saudável, proporciona uma aparência mais agradável e dentes com possibilidade de durar a vida toda.

O especialista neste campo é chamado de ortodontista. Os ortodontistas precisam fazer um curso de especialização, além dos cinco anos do curso regular.

Como saber se preciso de um ortodontista?

Apenas seu dentista ou ortodontista poderá determinar se você poderá se beneficiar de um tratamento ortodôntico. Com base em alguns instrumentos de diagnóstico que incluem um histórico médico e dentário completo, um exame clínico, moldes de gesso de seus dentes, fotografias e radiografias especiais, o ortodontista ou dentista poderá decidir se a ortodontia é recomendável desenvolver um plano de tratamento adequado para você.

Se você apresenta algum dos problemas abaixo, pode ser um candidato para o tratamento ortodôntico:

  • Sobremordida, algumas vezes chamada de “dentes salientes”— este problema é caracterizado por um excesso vertical da região anterior da maxila e/ou uma sobre-erupção dos dentes dessa região. Nos casos de sobremordida, os dentes anteriores superiores recobrem quase 100% dos dentes inferiores, conferindo um sorriso desagradável e problemas mastigatórios. Os dentes inferiores podem, inclusive, estar tocando no palato e na gengiva do arco superior.
  • Mordida cruzada anterior— uma aparência de “bulldog”, quando a arcada inferior está projetada muito à frente ou a arcada superior se posiciona muito atrás.
  • Mordida cruzada— ocorre quando a arcada superior não fica ligeiramente à frente da arcada inferior ao morder normalmente.
  • Mordida aberta— espaço entre as superfícies de mordida dos dentes anteriores e/ou laterais quando os dentes posteriores se juntam.
  • Desvio de linha mediana— ocorre quando o centro da arcada superior não está alinhado com o centro da arcada inferior.
  • Diastema — falhas, ou espaços, entre os dentes como resultado de dentes ausentes ou dentes que não preenchem a boca.
  • Apinhamento—ocorre quando existem dentes demais para se acomodarem na arcada dentária pequena.

Como funciona um tratamento ortodôntico eficaz?
Diversos tipos de aparelhos, tanto fixos como móveis, são utilizados para ajudar a movimentar os dentes, retrair os músculos e alterar o crescimento mandibular. Estes aparelhos funcionam colocando uma leve pressão nos dentes e ossos maxilares. A gravidade do seu problema é que irá determinar qual o procedimento ortodôntico mais adequado e mais eficaz.

Aparelhos Fixos:

O aparelho fixo foi inventado em 1925 por um ortodontista americano, EDWARD HARTLEY ANGLE, que nesta época desenvolveu a técnica do Arco do Arco de Canto.

O aparelho fixo é constituído basicamente por um conjunto de peças metálicas (bráquetes), que possuem uma canaleta por onde passa um fio (arco) que produz a força para movimentar os dentes.

Há na ortodontia várias técnicas ortodônticas, como, o arco segmentado, o arco contínuo, a de Viazis, os auto-ligados, a bioprogressiva, etc. Todas continuam usando o mesmo princípio de Angle, ou seja, um fio passando pelas canaletas.

Muito tem-se falado sobre a superioridade de uma técnica à outra, mas a literatura científica mostra que não há grande diferença em termos de tempo e eficiência do tratamento. Pode-se afirmar, que qualquer técnica ira promover um ótimo resultado, e o que realmente importa é se o profissional é qualificado ou não para a execução do tratamento

Os Bráquetes podem ser fabricados com os seguintes materiais:

Metálicos convencionais: são os bráquetes mais utilizados e que promovem o melhor controle da movimentação dentária;

Metálicos auto-ligados: não há a necessidade de amarilhos metálicos ou ligaduras elásticas para amarrar o fio no bráquete. Promovem um atendimento clínico mais rápido, entretanto, apresentam dificuldades na fase final de tratamento, quando é necessário fazer pequenos ajustes (dobras) no fio para o refinamento (estética) do tratamento;

Cerâmicos: é muito vantajoso por ser estético, pois, tem uma cor próxima a do dente. Entretanto, a movimentação dentária pode ser um pouco mais lenta, quebram mais facilmente, e o controle da movimentação não é tão bom quanto no metálico. Antigamente quebravam o esmalte quando da remoção do bráquete, o que já não acontece hoje em dia.
Plástico: são feitos de policarbonato. Vão desgastando com o tempo e dificilmente consegue-se terminar o tratamento sem ter que fazer reposições.

Constituintes do aparelho fixo:

O aparelho fixo é constituído por vários elementos, que têm por objetivo, transmitir força aos dentes a fim de promover a movimentação dentária.

  • Bandas metálicas (anéis ortodônticos):consiste em um anel metálico que é cimentado em volta do dente. Normalmente, um tubo ou um bráquete vai ser soldado nela.
  • Bráquetes:dispositivo soldado nas bandas ou colado diretamente nos dentes. Possui uma canaleta (“slot”) onde passa o fio ortodôntico.
  • Tubo:dispositivo soldado às bandas ou colado diretamente nos dentes, normalmente nos posteriores. Também possui uma canaleta (“slot”) onde passa o fio ortodôntico. Há tubos maiores, onde encaixam-se o arco interno do aparelho extrabucal ou então a placa lábio-ativa inferior.
  • Fio ortodôntico (arco):é amarrado a todos os bráquetes e cria a força necessária para movimentar os dentes para o seu correto alinhamento. Normalmente, inicia-se o tratamento com fios redondos e mais leves (.014”, .016”), progredindo depois para fios mais espessos e retangulares (.019” X .025”).
  • Ligaduras:podem ser elásticas (“elastic”) e coloridas ou então metálicas (amarrilho). A função das ligaduras é prender o fio aos bráquetes.
    Elásticos: criam forças, geralmente, puxando uma arcada contra a outra, que auxiliam a movimentar os dentes para as suas posições adequadas.
  • Ganchos:Podem fazer parte dos bráquetes ou dos tubos. Podem ser soldados nos fios. Ou então, podem ser amarrados (Kobayashi) em volta do bráquete. Servem para prender os elásticos.

Consultas (Manutenções para as ativações do aparelho fixo):

É fundamental que você compareça às consultas marcadas. Se o aparelho não for supervisionado adequadamente, ele pode movimentar seus dentes incorretamente, causando problemas ou então aumentando o tempo de tratamento.

Antigamente, as consultas eram realizadas a cada 3 semanas. Hoje, com a utilização de fios termo-ativados (são ativados com a temperatura do boca), as consultadas podem ser realizadas com um intervalo de até 6 semanas, principalmente nas fases iniciais do tratamento. O seu ortodontista decidirá qual o intervalo adequado para você voltar ao consultório.

Devemos nos atentar à:

  • Chegar no horário marcado da consulta;
  • Ligar com pelo menos 24 horas de antecedência a fim de alterar ou cancelar sua consulta;
  • Ir a cada três meses ao seu dentista clínico para controles e limpezas.

Efeitos do aparelho Ortodôntico fixo:

Seu aparelho pode causar algum desconforto durante os primeiros dias de tratamento, e após algumas ativações subseqüentes. Há algumas coisas que você pode fazer para minimizar esse problema.

  • Coma alimentos mais moles nos primeiros dias:
  • Tome um analgésico conforme a necessidade;
  • Coloque a cera ortodôntica sobre qualquer área que esteja incomodando.

Aparelhos removiveis:

Aparelhos móveis… eles o são realmente? A resposta é “sim e não”, porque a palavra removível pode lhe confundir. A chave para o tratamento ortodôntico com um aparelho removível é utilizá-lo, e não removê-lo.

Aparelhos removíveis freqüentemente não se parecem em nada com os aparelhos fixos. Diferentemente dos bráquetes (aparelho fixo) convencionais, que criam pressão por estarem presos diretamente aos dentes, os aparelhos removíveis são utilizados de formas diferentes. Alguns são utilizados para manter os dentes em suas posições após a correção ortodôntica (contenção). Outros, influenciam o crescimento dos ossos maxilares tendo um efeito sobre a estrutura facial. Além disso, eles são frequentemente utilizados antes e conjuntamente com aparelhos fixos.

Porém, os aparelhos móveis não são recomendados para todos os problemas ortodônticos. É necessários experiência e habilidade para reconhecer as condições que responderão favoravelmente a estes aparelhos. O período mais adequado para utilização deste tipo de terapia também é muito importante. Um especialista em ortodontia é treinado para diagnosticar e planejar o tratamento e usufruir da melhor aparelhagem para cada paciente em individual.

Os aparelhos removíveis NÃO FUNCIONAM SE VOCÊ NÃO USÁ-LOS

A partir do momento que os aparelhos removíveis podem ser facilmente tirados da boca pelo paciente, existe uma tendência que a sua utilização não seja conforme a indicada. Isto pode gerar um tempo maior (adicional) para o seu tratamento.

Alguns aparelhos removíveis exigem uma cooperação e cuidados especiais. Inicialmente você vai perceber alterações durante a alimentação e fala. Como qualquer objeto que você coloca na boca, os aparelhos removíveis vão provocar um aumento no fluxo salivar normal. Mas após se habituar ao uso e cuidados com o seu aparelho, você verá quão fácil é seguir as simples instruções que vão ajudá-lo a obter um belo sorriso.

 

DICAS PARA USO E CUIDADOS

Use o seu aparelho conforme o indicado pelo seu ortodontista. Ele só funciona se você usá-lo.
Mantenha seu aparelho limpo e no seu estojo quando não o estiver usando. Não o coloque no bolso ou bolsa – ele é um aparelho frágil e pode quebrar ou dobrar-se. Ainda, não o enrole num guardanapo ou deixe na mesa enquanto come – você pode esquecer ou jogá-lo fora.
Não coloque o seu aparelho em água quente ou próximo ao fogo se ele for feito de acrílico ou plástico. Ele pode se deformar, e é inflamável.
Coloque seu nome e telefone no estojo de seu aparelho para caso você o perca. Aparelhos removíveis demoram na sua substituição. Este tempo adicional pode prolongar o seu tratamento e esta substituição poderá ser cobrada.

Tipos de aparelhos móveis:

  • Niveladores— uma alternativa para os aparelhos convencionais para adultos, niveladores em série estão sendo utilizados por um número crescente de ortodontistas para mover os dentes da mesma forma que os aparelhos fixos, mas sem os fios de aço e os bráquetes. Os niveladores são virtualmente invisíveis e removíveis para que o usuário possa se alimentar, escovar os dentes e passar o fio dental.
  • Mantenedores de espaço móveis—estes aparelhos têm a mesma função que os mantenedores fixos. São feitos com uma base acrílica que se encaixa sobre a mandíbula e têm braços de plástico ou arame entre determinados dentes que devem ser mantidos separados.
  • Aparelhos Ortopédicos — também chamados de ativador, bionator, Herbst, e Bimler. Estes aparelhos são frequentemente usados em pacientes jovens que ainda estão crescendo. O propósito deste aparelho é reposicionar a mandíbula e controlar a posição da língua, lábios e musculatura das bochechas para evitar sua interferência na posição dos dentes.
  • Placas e grades linguais— são tipos de aparelhos removíveis utilizados para controle de hábitos como ranger ou apertar os dentes, interposição e sucção de língua. Estes aparelho são usados até que estes hábitos deletérios sejam eliminados.
  • Expansor palatino — um mecanismo utilizado para alargar o arco da mandíbula superior. Consiste em uma placa de plástico que se encaixa sobre o céu da boca. A pressão externa aplicada sobre a placa por meio de parafusos força as juntas dos ossos do palato a se abrirem para os lados, alargando a área palatina.
  • Contensores móveis— utilizados no céu da boca, estes aparelhos de contenção previnem que os dentes voltem à posição anterior apos a remoção dos bráquetes (aparelho fixo). Podem também ser modificados e utilizados para evitar que a criança chupe o dedo.
  • Aparelho extrabucal — com este aparelho, uma faixa é colocada em volta da parte de trás da cabeça, e ligada a um elástico na frente, ou um arco facial. Este aparelho retarda o crescimento da maxila e mantém os dentes posteriores onde estão, enquanto os dentes anteriores são empurrados para trás.
  • Splints (placas de mordida) – Estalos ou dor na região próxima ao ouvido, na articulação temporomandibular (ATM) algumas vezes podem ser aliviados por estes aparelhos, que vão permitir uma relação muscular e dentária mais confortáveis. Estas situações vão exigir algumas vezes, o trabalho conjunto entre o dentista clínico geral e o ortodontista para diagnosticar e tratar o problema.

LIMPEZA DO APARELHO

Seu aparelho deverá sempre ser limpo após as refeições. Isso poderá ser realizado com a utilização da sua própria escova de dentes ou então você poderá, se preferir, comprar uma escova mais dura, a fim de executar a limpeza. Além disso, recomenda-se que uma vez por semana, você deixe seu aparelho por 1 hora, dentro de um copo de água contendo uma colher de bicarbonato de sódio.

Quer saber mais? Entre em contato com Dr. Leonardo

×