Escova de dentes: Conheça os tipos, suas funções e como usá-las

Escova de dentes: Conheça os tipos, suas funções e como usá-las

Hoje irei escrever sobre algo ao qual todos os meus pacientes me questionam sobre; qual a melhor escova de dente, tamanho, formato, dureza/leveza das cerdas…e por ai vai, são vários questionamentos.

Como eu gosto de contar histórias antes de ir para a parte principal eu vou contar um pouco a história das escovas dentais…para que a leitura não fique chata, afinal de contas quem além do dentista gosta de ouvir e saber aspectos anatômicos de uma escova dental (rsrs).

Curiosidade: A escova de dente com cerdas apareceu perto do ano 1600, na China; a primeira patente foi nos EUA em 1857, e, desde então, tem sofrido pouca mudança.

Em geral, as escovas de dente variam em tamanho e forma, bem como em dureza, comprimento e distribuição das cerdas. Alguns fabricantes de escovas de dente reivindicam superioridade do desenho em alguns conceitos, como pequenas modificações no posicionamento das cerdas, no comprimento ou na rigidez. Entretanto, a pesquisa não demonstra diferenças significativas em índices de gengivite ou sangramento, as medidas mais importantes da saúde gengival.

Em termos de eu recomendar uma escova de dente particular, a facilidade de manipulação pelo paciente é um fator importante na seleção da escova, como é a percepção do paciente que a escova funciona bem. A efetividade e o potencial de injuria de diferentes tipos de escovas dependem de como elas são utilizadas. No entanto, há um consenso de que o uso da escova de dente dura, uma vigorosa escovação horizontal e, possivelmente, o uso de dentifrícios muito abrasivos podem resultar em abrasão (desgaste) do dente perto da gengiva e consequentemente podendo gerar uma recessão gengival (recuo da gengiva).

Recentemente, têm sido descritos alguns desenhos diferentes, que pretendem tornar a escovação mais fácil e em áreas de difícil alcance mais acessíveis. Uma escova, destinada a escovar todas as faces dos dentes ao mesmo tempo, possui cerdas curvas de ambos os lados da cabeça da escova e cerdas menores no centro. A idéia de escovar todas as superfícies do dente de uma vez só é atrativa, e estes desenhos de escova criativos podem ser úteis a alguns pacientes para conquistar melhor controle de placa. Não há nenhuma razão para desencorajar o uso de qualquer dispositivo em particular, sobretudo se o paciente gosta dele e utiliza-o melhor ou mais do que uma escova convencional. Deve ser um desenho realmente melhor nas mãos de qualquer paciente individual que resulte em melhor remoção de placa e incremento na saúde gengival.

 

Desenho da escova de dente:

As cerdas das escovas dentarias são agrupadas em tufos que, em geral, são arranjados em três ou quatro fileiras. Admite-se que as cerdas com bordas arredondas causam menos injúrias à gengiva do que as cerdas com corte plano e bordas cortantes. Dois tipos de materiais são usados nas cerdas de escovas de dente: cerdas naturais de crina e filamento artificiais feitos de náilon. Ambos removem a placa, e as cerdas de náilon predominam vastamente no mercado. As cerdas naturais desfiam-se, rompem-se amolecem e perdem sua elasticidade com mais rapidez. Os pacientes acostumados à flacidez de uma velha escova de cerdas naturais muitas vezes traumatizam a gengiva quando usam escovas novas com vigor comparável.

As cerdas macias são mais flexíveis, limpam abaixo da gengiva quando usada com a técnica de escovação apropriada, e também atingem com maior profundidade todas as superfícies dentarias. O uso de escovas de cerdas duras é associada a mais resseção gengival, e indivíduos que usam com frequência cerdas duras apresentam mais resseção gengival do que aqueles que usam cerdas macias.

A quantidade de força usada não é critica para a remoção efetiva de placa. Uma escovação vigorosa não é necessária e pode levar a resseção gengival; acúmulo de bactérias, sobretudo em paciente com gengivite acentuada; defeitos em forma de V na porção do dente logo acima da gengiva, e também ulceração dolorosa na gengiva.

As escovas dentarias devem ser trocadas periodicamente a cada 12 semanas. É muito importante observarmos que quando as cerdas são esgarçadas após uma semana, é possível que a escovação tenha sido muito vigorosa; se as cerdas ainda parecem novas após 6 meses, é provável que a escova não tenha sido usada todo dia.

A preferência por características do cabo é matéria de interesse individual. Algumas evidências clinicas sugerem que a discreta angulação da escova melhora o acesso a remoção de placa em condições de escovação supervisionadas.

Quer saber mais? Entre em contato com Dr. Leonardo

 

Recomendações do Dr. Leonardo:

  • as escovas de dente elétricas removem placa tão bem ou até um pouco melhor do que as escovas manuais
  • pacientes que querem usar escovas de dente elétricas devem ser encorajados a fazê-lo
  • pacientes necessitam ser instruídos para usar de forma adequada os dispositivos elétricos
  • pacientes que realizam uma escovação precária, crianças e pessoas que escovam os dentes de pacientes impossibilitados de realizar essa tarefa são os mais beneficiados com o uso das escovas de dente elétricas

 

Escova que eu recomendo e uso:

 

Escova para controle de estresse, por ter um cabo mais grosso.

 

 

Escovas de dente elétricas:

Ainda no nosso portfólio de escovas hoje nós temos a opção de escovas dentárias elétricas as quais foram desenhadas para imitar as técnicas de escovação usando movimentos de trás para frente inventadas em 1939. Modelos subsequentes foram desenvolvidos com movimentos circulares ou elípticos, e algumas com combinação dos movimentos. Atualmente, as escovas de dente elétricas possuem movimentos oscilatórios e rotatórios e algumas usam energia acústica de baixa frequência para incrementar a habilidade de limpeza.

Todas as escovas de dente elétricas dependem de um contato mecânico entre as cerdas e o dente para remover placa.

Tipicamente, estudos comparativos entre escovas elétricas e escovas manuais, ou outros dispositivos elétricos, demonstraram pequeno aumento na remoção de placa para o dispositivo de interesse em estudos clínicos de curto período. Uma vantagem distinta para qualquer produto em particular não foi demonstrada.

As escovas de dente elétricas têm mostrado incrementar a saúde bucal para:

1- crianças e adolescentes

2- crianças com desordens mentais ou físicas

3- pacientes hospitalizados, incluindo idosos, que precisam ter seus dentes limpos por outros

4- pacientes com aparelhos ortodônticos fixos

 

Escova de dente elétrica que eu recomendo:

 

Quer saber mais? Entre em contato com Dr. Leonardo

Related posts

×